Um homem de meias azuis

fevereiro 27, 2010

Eu te perseguia pelas ruas, minha força te guiava como o vento empurra nuvens.

Ou seria o contrário?

Os seus passos me chamavam em cadência, em silêncio e eu apenas te seguia?

Vai, foge de mim, que antes que as nossas sombras se encontrassem nesse concreto sem fim eu já pensava que você era minha.

Somos o que somos, você é uma brisa de abril, é o sol, é maior do que sol e eu sou o homem que caminha sem razão por calçadas cinzentas.

Você é a veia que guarda algum sangue, a antiga catedral, eu sou um homem a que tudo contempla nessas calçadas cinzentas.

Claudia Barral – http://www.claudiabarral.com.br

Anúncios

Tão forte !?

novembro 18, 2009

 

Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta
Composição: Ronei Jorge

Com você eu passo
Até a noite inteira
De qualquer maneira
Com qualquer bobagem
Nada pode nos fazer
Fraquejar esse amor
Tão Forte

 

Mais Uma Canção ?!

novembro 7, 2009

 

Composição: Marcelo Camelo e R. Amarante
Nada vai mudar entre nós
Como eu sei?
Eu só sei
Tudo vai permanecer igual
Afinal
Não há nada a fazer
Eu não nego
Eu me entrego
Você é meu grande amor
Hoje eu vou te dizer “eu te amo”
Eu imploro
Eu te adoro
Você tem meu coração
A bater pra você mais uma canção
Como pode alguém perder você
Como eu fiz
Como eu quis não te ter?
Vivo iludido
A acreditar que o amor
Não se pôs em você
Eu me entrego
Eu não nego
Eu errei, mas sou capaz
de fazer sua vida melhor
Tô voltando
Não sei quando
Pra roubar teu coração
Vou chegar no final de mais uma canção.

 

Tuitando !?

novembro 2, 2009

“Tinjo-me romântico mas sou vadio computador.”

Voa, Voa, Perereca !?

novembro 2, 2009

 

Composição: Sergio Amado

Coitada da perereca dela
É tão bela, é tão bela
Coitado do meu passarinho
Tão sozinho, tão sozinho
Coitada da perereca dela
É tão bela, é tão bela
Coitado do meu passarinho
Tão sozinho, tão sozinho
A perereca quer voar
Voa, voa perereca
Mas não deixe aqui nesse cantinho
Tão sozinho, meu passarinho

 

Lágrimas Negras !?

novembro 2, 2009

Composição: Jorge Mautner

Na frente do cortejo
O meu beijo
Forte como o aço
Meu abraço
São poços de petróleo
A luz negra dos seus olhos
Lágrimas negras caem, saem, dóem
Por entre flores e estrelas
Você usa uma delas como brinco
Pendurada na orelha
Astronauta da saudade
Com a boca toda vermelha
Lágrimas negras caem, saem, dóem
São como pedras de moinhos
Que moem, roem, moem
E você baby vai, vem, vai
E você baby vem, vai, vem
Belezas são coisas acesas por dentro
Tristezas são belezas apagadas pelo sofrimento
Lágrimas negras caem, saem, doem

 

 

De Cara – Eu Quero Essa Mulher
Caetano Veloso

Eu quero essa mulher assim mesmo
Eu quero essa mulher assim mesmo
Essa mulher assim mesmo eu quero
Eu quero essa mulher assim mesmo
Eu quero essa mulher assim mesmo
Eu quero essa mulher assim mesmo
Essa mulher assim mesmo eu quero
Eu quero essa mulher assim mesmo
Eu quero essa mulher assim mesmo
Para ti nada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Alucinada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Despentiada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Escapelada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Ubriacada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Intoxicada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Desafinada
Eu quero essa mulher assim mesmo
Disintuada